Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

oitentaeoitosim

09
Out10

É sempre a mesma melodia…

Jorge

   Por uma questão de alternativa, o conselho superior do almoxarifado achou por bem promover audiências com os partidos marginais, mas legais, legais, aqueles que vão a votos e voltam depenados, sem representantes na casa beneditina. Os partidos do regime não davam uma para a caixa, a bancarrota já se aferrara ao batente da porta de entrada e todo o mundo olhava de través par as gentes que ali habitavam.

   - Aumente-se o PIB, logo a despesa pública estreita. Assim nos livramos da ignomínia! – sentenciou o porta-voz do partido ouvido em primeiro lugar.

   O alto comissário popular para os partidos ficou de cara à banda, pestanejou repetidas vezes e livrou-se airosamente de inoportuno engasgamento. Retomada a compostura, ordenou à comitiva, de dedo em riste, que a comitiva saísse pela porta do cavalo.

   - Encubra-se a despesa pública, por uma operação de cosmética estatística comprovadamente eficaz. Assim nos livramos da ignomínia! – alvitrou o porta-voz do partido ouvido em segundo lugar.

   O alto comissário popular para os partidos cofiou bigode e pêra, coçou o cocuruto e teve um ataque de bílis. Recomposto, ordenou à comitiva, de dedo em riste, que se sumisse pelas cavalariças.

   - Restrinja-se o gasto de consumíveis, de produtos de limpeza e da conta da água e da luz, a fim de cortar na despesa. Assim nos livramos da ignomínia! - aventurou-se o porta-voz do partido ouvido em terceiro lugar.

   O alto comissário popular para os partidos pôs um nariz de palmo e meio, esmagou uma barata intrometida e conteve um espasmo cerebral. Reconciliado com o seu ego, ordenou à comitiva, de dedo em riste, que se apressasse a dar uma volta ao bilhar grande.

   - Tragam o FMI, antes que o país atinja o fim e solte o último suspiro. Assim nos livramos da ignomínia! – atreveu-se a porta-voz do partido ouvido em quarto lugar.

   O alto comissário popular para os partidos pôs cara de poucos amigos, arrancou um pêlo do nariz e soltou uma imprecação entre dentes. Reposta a normalidade, ordenou à comitiva, de dedo em riste, que fosse em demanda da linha do litoral das plagas da Caparica.

   - Mude-se a regência de alto a baixo que está farta de encenar golpes de baú e de atirar areia para os olhos do povinho. Assim nos livramos da ignomínia! – arengou o porta-voz do partido ouvido em quinto lugar.

   O alto comissário popular para os partidos abriu a boca no máximo do seu perímetro externo, trinchou uma bola de Berlim e continuou a respirar a largos sorvos. Reanimado, mandou à comitiva, de dedo em riste, que fosse em demanda de gambozinos.

   - Habilite-se os empresários a vender na estranja louça das Caldas, galos de Barcelos, azeite, o vinho, fado, Fátima e a via verde. Assim nos livramos da ignomínia! – tartamudeou a porta-voz do partido ouvido em sexto lugar.

   O alto comissário popular para os partidos atirou uma murraça às porcelanas, aos quadro de renome e desfez 2 tapeçarias antigas. Com todos os sinais vitais normalizados, mandou à comitiva, de dedo em riste, que fosse pentear macacos.

   - Imponha-se a reabilitação, a avaliação e a refundação dos serviçais públicos e a preservação da classe imperial e empresarial. Assim nos livramos da ignomínia! – sugeriu a porta-voz do partido ouvido em sexto lugar.

   O alto comissário popular para os partidos engoliu sofregamente 6 pasteis de Belém e 6 bolinhos de bacalhau regados com uma rasão da pomada da casa. Tem-te-não-caias, pôs o dedo em riste e mandou que a comitiva fosse em paz marrar com o comboio de Chelas.

   O alto comissário popular para os partidos descansou nos 6 dias e 6 noites seguintes. Curada a ressaca, compôs a postura e pôs a vestimenta a condizer com a última comenda recebida. Nestes preparos, convocou o regedor da pataqueira freguesia e disse-lhe que pretendia passar os olhos pelo último orçamento de obras, por ele elaborado. Assinou-o. Acto imediato, despachou a deportação para as Berlengas dos serviçais do almoxarifado, a bem ou a mal. Com garbo, pediu asilo político ao principado da Pontinha. Ainda teve tempo de ouvir os tambores rufarem, à passagem dos patos-bravos transvestidos de gatos-pingados.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2011
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2010
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2009
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub