Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

oitentaeoitosim

26
Ago11

Água no bico

Jorge

Com água no bico

1 - Reza a fábula bem antiga que 2 panelas – uma de barro, outra de inox – entregues à inclemência de volumoso raudal, se viram lado a lado, na luta pela sobrevivência. Chuvas diluvianas tinham brotado em fartas bátegas, pelo que se viram à deriva, sem tampas, sem engastes e sem suportes. Foi então que a panela inoxidável estendeu a mão à de barro, sugerindo que fizessem figas ao destino e terçassem forças. Só assim teriam hipóteses de fintar o triste fado que lhes pressagiavam gurus e especialistas na matéria. «Desampara-me a loja, vá, põe-te a milhas!» - gritou-lhe do alto do seu enfado a de barro, quando ambas lutavam denodadamente por arribar a porto seguro. Habituada a tratamento digno de seus pergaminhos, daí pouco afeita às cambalhotas que a vida proporciona aos outros, a de inox, não se conteve e ripostou com toda a veemência: «Ó sua delambida enfarruscada, seu pote de graxa rançosa, assim te eximes ao meu honesto suporte da tua salvação?! Bem sabes que tenho muitas mais hipóteses de escapar a este nó górdio!». A de barro enxotou-a para longe: «Vai antes chatear o vate! Se me dás uma topada, mesmo a contragosto que lá vou eu para o galheiro! É preciso ter topete! Vai arranjar tacho para outro lado!». Não houve mais notícias do desaguisado, mas, nas entrelinhas, pode inferir-se que cada um dos tachos sobreviveu sem mais arrelias, na prossecução dos seus currículos normais.

2 – Reza a fábula bem mais recente que um argirocrata foi içado de bombordo para dentro de uma chalupa cuja tripulação plebeia multiplicava esforços para se manter à tona de água. O colectivo prodigalizava remendos para os diversos furos do casco, enquanto a água se insinuava através de número incontável de rombos, no meio do pantanal. O céu plúmbeo ameaçava cair sobre todas as cabeças, sem remissão. A borrasca rugia forte e feia, como se esforçasse por revolver as entranhas do planeta terráqueo. «Proponho-me remar para o mesmo lado que todos vocês.» - prometeu o hasteado, pouco afeito aqueles assados. Arregaçou as mangas e pôs as mãos bem tratadas à obra. Os tripulantes olharam-no de soslaio, desconfiados de tanta exposição. «Se buscas salvação, toca a trabalhar e não te penses em baldar» - disparou à queima-roupa Robin, o comandante-em-chefe. Aflito, o fidalgo redarguiu:  «De acordo, mas não é preciso empurrar, que eu tenho olhos na cara e sei que não estou numa festa de arromba do jet set». Tobin, o contramestre replicou: «Aqui tens que dar o litro e entrar com uma nota grande para o petróleo». O predestinado trabalhou que nem mouro, pagou o petróleo e deixou grossa maquia - arrecadada em paraísos, purgatórios e limbos fiscais -, a ser gasta na aquisição de um navio catita. Para memória futura, consta que isto aconteceu uma vez sem exemplo, a contragosto dos paus-mandados que rezavam, à distância, ao Senhor dos Aflitos, de cabeça descoberta, por não terem conseguido demover um dos seus amados líderes de ceder a semelhante capricho. Não houve mais desenvolvimentos deste epifenómeno.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub