Quinta-feira, 24 de Agosto de 2017

    Um reputado médico - conta 87 anos atualmente - falou, de coração nas mãos, com algum desassombro por isso mesmo, no decurso duma entrevista, desta feita a um semanário que continua a ser publicado, todos os sábados sem cessar, há uns bons 44 anos.

    Vá onde for, a fama precede o cirurgião, pois tem muita obra bem-feita, nas áreas da pediatria e oncologia. Além disso, já presidiu à ordem dos médicos cá dentro, e chefiou uma associação médica mundial, lá de fora e cá de dentro.

     (Melhor que nada nem ninguém nos protegem os méritos.)

    Em 2 ocasiões da sua vasta prática de vida, o senhor doutor foi feito comendador, façanha ainda ao alcance de poucos cidadãos – apesar da atual generosidade presidencial -, sobretudo se bem servidos de de bens e dons.

     Noutras 2 ocasiões, o reputado médico-cirurgião recebeu outros galardões que o colocam no topo da carreira médica e no topo dos encómios daqui e além-mar.

     (A fama dá asas.)

   Por se ter elevado aos píncaros da excelência, o dedicado cidadão e cirurgião, embora reformado, poucos que com ele lidaram dispensam a sua sabedoria, pelo que ainda opera.

    Naquela entrevista, o senhor doutor – Gentil, de sua graça – não foi de modas e condenou de uma só veze com todas as letras a homossexualidade que ele tem na conta de anomalia, mas também desfez no aborto, na eutanásia e na morte assistida.

     (A fé nas palavras e nas obras se descobre.)

    O condecorado físico enredou-se em condenações que não se esperam que sejam debitadas por quem tem responsabilidades no cenário social. Dos eleitos espera-se a adesão à mainstream; mais se espera que abjure de arquétipos serôdios; e que seja contido em revelar publicamente as suas discordâncias com a norma oficial e/ou oficiosa.  

    Na referida entrevista, o insigne cirurgião não se ficou por aí e largou outra bomba: o senhor CR7 é um estupor moral (por ter 3 filhos de encomenda, ao que parece). Está mal, que os filhos precisam do acompanhamento de mãe, pela vida fora!...

     (Ainda está por esclarecer se faz mais estragos um nariz torcido, ou um discurso retorcido.)

    Eu sei que o senhor doutor é um herói, deu saúde a muita e boa gente. Mas, olhe que o senhor CR7 não lhe fica atrás: com a bola nos pés ou na cabeça tem posto grandes multidões a respirar orgulho pátrio, o que é muito bom para levar a vida mais a contento e com mais saudinha.

    O insigne físico também não foi meigo em apontar as falhas que terão existido na formação dada pela mãezinha do senhor CR7. Por acaso ele bem poderia ter opinado sobre as falhas de educação que eu ministro ao meu rebento, mas ele não me conhece de parte alguma, nem sabe que eu penso que a obrigação de ganhar o pão às vezes se impõe a outros deveres.

     (Um ídolo não deixa de o ser, mesmo que assente em pés de barro.)

    Estes últimos ditos escritos acrescentaram mais detratores à pequena lista das vestais ofendidas e dos defensores do establishment, tantas vezes identificados como apóstolos do politicamente correto (indivíduos igualmente bem dotados de bens e dons).

  Levantaram-se vozes a pedir a cabeça do ancião numa bandeja, em contrapartida à retirada das condecorações e ao tautau no rabiosque. Até agora nada ocorreu, nem um auto de fé para amostra (menos mal!).

    PS - É sabido que a memória da gente é curta (dá jeito, às vezes!). Parece que o pavio da indignação dos guardiães do templo dos bons hábitos e hálitos se reduziu, ou aguardam que lenta justiça seja feita.

     (A sinceridade é de vidro, a discrição de diamante e o desagradecimento  dedigna.)

 

Cenas do País Tetragonal (XXXI).jpg

«Quero lá saber se isso está a causar sensação! Não te quero por aí a deambular sem a tua parra, acabou-se!»



publicado por Jorge às 09:18
mais sobre mim
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO