Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

oitentaeoitosim

08
Nov12

Comam sapateira!

Jorge

 

    Há quem diga que sim, outros que não. Terá sido a senhora Dona Maria Antonieta - que Deus a tenha na sua companhia – quem se armou ao pingarelho: «Não há pão? Comam brioches!». Não parece que os referidos produtos de esmerada confeitaria fossem mais populares e baratos que uma carcaça ou uma bolinha, nos idos do século XVIII. Todavia, no dia em que a coroada cabeça debitou o desabafo, havia grande oferta de brioches no mercado, por falta de procura, nos dias conturbados da revolução gaulesa, um ponto de viragem para a definição de novas estratégias do mando global. O povo - alevantado - estava mais que farto de monarquias mais ou menos ensolaradas e de cabeça noutros amanhãs, sem amos. Por isso não ligou peva à douta conselheira, foi-lhe antes no encalço, para lhe tratar do epitáfio.

   Foi preciso esperar pelo século XXI – já sobram poucas cabeças coroadas e há novos amos – para que surgisse uma émula da senhora dona Maria Antonieta, também em tempos de tresmalho, em que o povo andava de alevanto. Pessoa de alto carisma, bastas vezes trazida nas palmas das mãos dos seus concidadãos que cumulava de desvelos e primores a instituição filantrópica a que presidia, não se conteve, perante o diktat da crise, da austeridade, do empobrecimento forçado e explode: «já não se pode comer só bifes todos os dias!» Está ciente que muitos dos seus concidadãos andam de cinto apertado, a cortar na água, na luz, na roupa, na casa, na escola dos putos, nos transportes, nos trapinhos, no gasóleo, na gasolina, na saúde e que a compreenderão. «Se não há bifes, coma-se sapateira!» Por acaso o marisco, por aqueles dias, tinha andado escondido ou de aspeto enfermiço. Disso se ressentiu a demanda, à imagem e semelhança dos popós topo de gama. Apanhado de surpresa pela frigidez do conselho prodigalizado pela emuladora da aristocrata pacóvia de antanho, o povo (com mais olhos que barriga) nem mostrou os dentes, antes a remeteu à carapaça da sua insignificância.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub