Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

oitentaeoitosim

18
Abr13

Ritual

Jorge

   Houve alto conciliábulo pela tarde e noite adentro. A reunião de cúpula tomou mais uma porradona de medidas de austeridade que é o-que-está-a-dar. No ritual encetado, terão participado gostosamente, para além dos verdugos costumeiros, tarólogos, adivinhos das 7 partilhas, mentalistas, parapsicólogos e ornitólogos também.

   Duas questões em cima da mesa: como contornar a má decisão dos supremos jurisconsultos e qual a melhor posição para dessangrar as vítimas de novo pogrom. As estratégias mais pensadas por trazer ao aprisco os novos-cristãos relapsos: entalação entre a espada e a parede, agarração pelos gorgomilos, seguida de perfil de ponta-cabeça, trepanação ou crucifixão em pau de marmeleiro.

   Que-seria-que-não-seria, que «vai ser da gente» atenções no briefing, já manhã clara. Foi a oportunidade para as questões se centrarem em detalhes (do grande depende o pequeno), que as vítimas têm vindo a ser preparadas por confessos. De concreto apenas se soube que terá sido aventada a hipótese de ir acima dos subsídios de desemprego, de doença (ou qualquer dia há uma epidemia que nos leva a todos, lagarto, lagarto!); também se pode ir para cima dos PPP, mas aí a coisa fia mais fino (o território está minado).

   Mais, perdurou a certeza impactante que o patíbulo está montado, junto ao pelourinho, apesar da simulada reposição de rendimentos dos funcionários públicos (um presente envenenado). Há essa informalidade inconsequente de comunicar a cena a todas as torrentes de opinião e aos parceiros sociais as medidas «equânimes» não anunciadas. Ficará pedra sobre pedra, ou vai tudo a eito? A mão que deu, preparada está preparada para tirar, com juros. Os francelhos que, durante tanto tempo, atiraram ou debicaram nos subsídios vindos da estranja já começam a ficar obviamente inquietos...

   En passant, do que gostei mais foi da estória das cláusulas de salvaguarda (pelo-me por mistérios e cenas fantasmagóricas!) e da estreia do Maduro lusitano. O homem deve perceber do assunto, esteve fermoso, de sorriso fatal, mas tem a cassete riscada. Um bigodito à Zorro ficava-lhe a matar! Os restantes queridos porta-vozes estavam de corpo a pedir caminha, coitados, ninguém sai impune de tanta vacuidade.

    (Noutros tempos, o engano fazia-se com acinte; agora põe-se acinte no engano)

 

  

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub