Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

oitentaeoitosim

24
Mai10

Juízos de dentro e de fora

Jorge
Veio o primeiro julgador e opinou ex catedra: - Saibam Vexas que branco é, galinha o põe! Caso encerrado, segue em julgado. O primeiro litigante não tugiu, nem mugiu, mas prometeu a desforra ao segundo, até ao último penny, como disse, arvorado em snob. Não foi condenado às galés, tão pouco foi deportado para as Selvagens ou malhou com o ossos no chilindró, assim perdendo a hipótese de ver o Sol aos quadradinhos, um evento cada vez mais negado aos terráqueos que se prezam. Mas, teve muito tempo para ler histórias aos quadradinhos, até ao segundo embate. O segundo litigante deu largas ao seu contentamento; não é de todos os dias que se vai à liça e se vence por KO técnico ao primeiro assalto. Posto a par das intenções do primeiro, decidiu fundar uma terceira microempresa, de forma a fazer face às despesas conjunturais, não fosse o diabo tecê-las. Mesmo assim, porque uma vitória deve trazer alegria, entrou na discoteca da sua predilecção, bebeu uns shots, esgalhou 3 piruetas dançantes com uma amiga de circunstância, ao sabor do estrilho montado por uma dj do meio da tabela, pagou uma rodada e meteu-se em vale de lençóis com a circunstante, a preparar-se para dirimir duros futuros combates. Veio o segundo julgador e opinou ex catedra: - Saibam Vexas que galinha preta põe ovo branco! Caso encerrado, segue em julgado. O primeiro litigante deu largas ao seu contentamento, de um salto se pôs em pé; não é de todos os dias que se sai a duelar a terreiro e se vence por KO técnico ao segundo assalto. Tinha lavado a honra, o adversário não tinha tido palheta para ele, tinha recolhido os despojos e preparou-se para trabalhar aos fins-de-semana num call center. As despesas da bravata judicial tinham-lhe comido a carne e os ossos. Mesmo assim, procurou nos fundilhos dos bolsos dos casacos, das calças e fatos e conseguiu arranjar uns trocos para se atirar a um rodízio repimpado e repenicado, facto que se deu no restaurante predilecto. Comeram, escorropicharam copos cheios de elixir dos deuses, inebriaram-se e foram de gatas para casa. O segundo litigante não tugiu, nem mugiu, mas prometeu a desforra ao primeiro, nem que tivesse de empenhar o carro, a mota, os electrodomésticos, o telemóvel, o laptop, o ipod, (o ipad não que ainda dormitava na embalagem virginal da Amazon). Esteve quase a cumprir serviço à comunidade, ou prestar voluntariado numa ONG, mas escapou por ter pé chato e 2 unhas encravadas, como as chinesas dos pés curtos. Não fosse capaz de melhor no próximo duelo, pagava-as todas. Veio o terceiro julgador e disse ex catedra: - Saibam Vexas que não há paz onde cante a galinha e cante o galo!Caso encerrado, segue em julgado. O primeiro e o segundo litigantes foram declarados vencedores ex-aequo do pleito. Foram levados em ombros pelos familiares, amigos e mirones. Depositaram-nos na discoteca predilecta do segundo litigante e mais tarde na casa de pasto favorita do primeiro litigante. Contas feitas, ficaram detidos na cadeia tipo guantanamo do feudo, tendo direito a bola de ferro atolada ao pernil. Tinha levado sumiço o graveto, à custa de tanta persistência. Foram vistos, muitas vezes, no pátio da instituição benemérita a esgadanharem-se os cabelos, a esbracejar a torto e a direito e a ulular ao vento que passa. Tinham voltado à liça e agora propunham-se tirar a limpo, sem interferência de terceiros, quem teria surgido primeiro, se o pinto, se o ovo, se Colombo. Havia tempo de sobra para confabulações existencialistas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2011
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2010
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2009
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub