Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

oitentaeoitosim

15
Mai20

Carestia

Jorge

Há uma regra sem exceção:  todos precisamos de comprar serviços e produtos, uns de primeira necessidade, outros espúrios.

Na ordem estabelecida, é suposto que, todos os anos, os bens aumentam, no primeiro dia, do primeiro mês do ano, por conta da inflação, em certas condições, apaparicada pela Economia.

Tudo normal!

Na ordem estabelecida, há uma porrada de impostos diretos e indiretos.

Indiquem-me uma transação, que não esteja legalmente submetida a impostos que revertem para o Estado. Os impostos manifestam uma tendência para crescenças, por conta da inflação, no início, a meio, ou no fim do ano, tanto faz! o que é acarinhada por sãos princípios da Economia.

Tudo normal!

Há uma porrada de comissões impostas pelos donos dos bancos (ora consideradas imprescindíveis na gestão de contas, com menos funcionários). São cada vez mais escassas as operações e movimentações bancárias não sujeitas ao jugo de comissões, que invariavelmente, no princípio do ano, também padecem de inflação, a tal que também é mimoseada, em certas condições, pelas sãs regras da Economia.

Tudo normal!

Há uma porrada de portagens a pagar nas autoestradas, nos itinerários complementares, no acesso a pontes, etc… Todas elas aumentam, regularmente, todos os anos de preferência, não há maneira de lhes fugir, porque não resistem ao prendimento da inflação, que, quando bem acautelada, desempenha um papel motivador das economias.

Tudo normal!

Assim, a inflação pode jogar o seu papel no crescendo dos rendimentos públicos e privados.

Como se sentiria o pobre, o remediado, o pequeno, ou o médio burguês, sem entrar, em data certa, com mais umas moedinhas, para o escorreito crescimento económico?

Mal, por certa e a vida seria sensaborona!

Em tempo de pandemia, não convém suprir os elementos que conferem alguma excitação social...

PS – Não dá, em tempo de pandemia, para se voltar, no imediato, ao Cabaz de Compras, entre outras políticas oficiais imperativas?

Carestia.jpg

- Qual a solução efetiva que sugere para o controle do crescimento da população mundial?

- Inflação incontrolada!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub