Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

oitentaeoitosim

05
Mai15

Contos de fados (XIII)

Jorge

- A justiça não é igual para todos, é preciso denunciar.

- Desminto categoricamente, no papel e na teoria todos somos iguais. Mais direi, a justiça nunca deixou de ser igual para iguais.

- A justiça é cara, urge atuar.

- Totalmente em desacordo, tudo tem o seu preço certo. Toda a gente pode contratar um bom causídico, independentemente do pé-de-meia adregado e agregado. As entidades financeiras, os familiares e amigos são para as ocasiões.

- Não há pai para advogadas e advogados, assim não pode continuar.

- Não é bem assim, quem manda pode e quem pode manda. Elas e eles podem e dão-se a algumas veleidades do mando. Quem parte e reparte e não fica com a melhor parte…

- O Estado deveria chegar-se à frente e não fiar-se tanto nas boas graças de S. Ivo.

- Não está a ver bem a coisa, os bons dos causídicos apenas se desenvolvem em privado, a iniciativa privada gosta deles. Portanto, não meta o Estado o nariz onde não deve, em nome da sã competitividade social, logo do bem-estar geral. A cada santo seu círio!

- De médico, advogado e padre cada qual tem um grande bocado.

- Discordo, de leis o mais vulgar é haver desconhecimento. As decisões favoráveis obtêm-nas todos quantos melhor interpretem e convoquem os espíritos das leis.

- A justiça tem sete mangas e em cada manga sete manhas.

- Discordo, quando muito justiça não é só lei, requer uns pozinhos de espírito inventivo, como noutra profissão e é assim que o mundo pula e avança.

- Se calhar põem-se os juízes a inventar…

-Não coloque palavras na minha boca! Qualquer juiz atém-se à letra da lei, para tanto lhes paga o Estado p, para serem equânimes.

- Se calhar põem-se os agentes do Ministério Público a inventar…

- Discordo o suficiente, para não estar de acordo, pela busca objetiva de provas, já sobram bastas vezes, aos seus agentes, profícuas provações.

- Quem nos dera que a justiça terrena fosse infalível como a divina, deus escreve direito por linhas tortas.

- Quem sou eu para discordar?! Aos humanos é também dada a possibilidade de escrever torto, por linhas direitas.

- A justiça é mesmo cega de nascença?

- Não consigo ser imparcial, não lhe acompanhei os primeiros passos.

Assim cavaqueavam Teobaldo, um émulo do Zé do Telhado, e Querubim, um advogado do diabo, à porta da domus iustitiae.

Entrementes, chega um plutocrata a bordo de uma chaimite. Vinha acusado de ter desgraciado muitas existências. Tomado de súbito e lancinante estupor, o argirocrata claudica e estatela-se ao comprido, quando fina adaga lhe atravessa o ventre, expelindo o último suspiro.

Na versão oficial, posta a circular, transcorridos 2 minutos sobre o infausto acontecimento, o indivíduo tinha executado haraquíri inopinado e inconcluso.

Atenção que já não é de bom timbre ajustiça feita por mão própria.

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub