Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

oitentaeoitosim

25
Dez14

Em Batatíva 11

Jorge

 

 A vã glória de mandar

A glória é de quem a ganha, o dinheiro de quem o agarra.

Provérbio

 

Se alguma coisa pode dar errada, dará. Mais, dará errado da pior maneira, no pior momento e de modo que cause o maior dano possível.

(Uma) das Leis de Murphy

 

 

. Sô José amassou grande fortuna muitas rendas muitas tenças muitas propriedades por isso ou depois disso pôs-se à frente dum banco que se aguentou nas canetas durante 2 décadas ou quase para depois descambar e dar com os burrinhos na água por conta disso o senhor esteve uns dias na choça onde raramente se confina casacudos a conselho médico quase todos sofrem de claustrofobia que horror não nasceram para aquilo.

O sô José era homem entendido em alquimias fazendárias que ninguém duvide disso mas não era detetive por isso desconseguiu descobrir quem lhe comeu as papas na cabeça agora puseram-lhe um menino nos braços e toda a gente vê que já não tem idades para essas coisas. Ele era o chefe máximo mas não era deus não conseguia estar em toda a parte não sabia de tudo por isso teve de passar pela vergonha de não ter topado ou destapado a marosca. Acreditem ele andava assoberbado por tarefas mil fartava-se de trabalhar mesmo aos fins-de-semana dava muitas horas diretamente ao banco e indiretamente à comunidade e talvez por aí fora o gato às filhoses há quem diga que a lógica excessiva ou a sua falta conclamam o erro.

Portanto o banco de sô José foi para o maneta um encoberto enfiou a galga ao factótum e comeu até rebentar pela calada tá na cara que o artista é cónego lambaz e sagaz que se deu ao luxo de cozinhar operações de licitude duvidosa com uma pintarola mas pulgas me mordam se não chegaram uns pitacos aos ouvidos do sôr José sobre suspeitas e suspeitos. Se o esfervelho se põe a tecê-las de pouco vale cautelas e caldos de galinha por isso às vezes é melhor deixar pousar as moscas a precipitação nunca trouxe bons lucros e teoricamente ninguém gosta de dar entrada antecipada no necrotério antes de esgotado o seu prazo de validade não sei se estão a ver o filme a doutrina garante que a vida no além é melhor mas a incerteza do bem é pior que a certeza do mal por isso não me venham com cantigas.

Os governantes e as governantas da santa terrinha ficam assarapantados com a intensidade do estrondo e cheios de miúfa por conta do papão do risco sistémico compram os cabedais todos do prestamista ações títulos obrigações fundos certificados a moeda boa e a moeda e o diabo a 4 que foram mais tarde trespassados ao preço da chuva a uma sociedade de agiotagem e todos ficaram felizes menos o Zé que foi forçado a entrar na dança e para tanto entrou com a massa que tinha e não tinha mas as elites merecem.

O nosso homem veio cá para fora expiar pecados próprios por certo e alheios provavelmente anda tem-te-não-caias neste vale de lágrimas mas não anda aos caídos do mal-o-menos paga que se farta a causídicos e assim dinamiza o consumo interno e vivó velho.

Um juiz abelhudo chamou à pedra o sô Oliveira levou um apertão de calos valente mas teve-se nas canetas há ainda muitas roupa suja por lavar provas a prestar por exemplo a prova dos nove não tem saído certa em todas as operações é preciso dar tempo esta gente fidalga tem sempre um tempo e um modo diferentes.

. Sô João detém muitas rendas muitas tenças e muitas propriedades por isso ou depois dessas compras todas ficou à frente dum banco de poucos anos e quando menos contava ficou de barbas a arder e o seu banco privado foi para o galheiro.

O sô João era homem entendido em elucubrações monetárias financeiras e similares e compôs um perfil máscara de calma olímpica quando os jornalistas tentaram à vez puxar-lhe pela língua se conhecia o fuleiro causante do baque centrado na área de retorno absoluto ele negou que soubesse quem e como lhe passaram as palhetas lavabo manus meas fosse ele detetive e outro galo cantaria e lá por casa não havia nenhum. Impávido e sereno mas de cara no chão ajuntou que não foi tido nem achado no desfalque foi azar sempre fez tudo certinho se fartou de dar à unha trabalhava todos os dias sem folgas até costumava dizer aos inimigos se tens inveja de mim faz como eu trabalha e vai-se a ver acontece-me não deu certo. A propósito sabem qual o presidente dos States que foi capaz de afirmar que as vitórias atraem muitos pais presuntivos as derrotas são filhas de pais incógnitos. Eu sei e se calhar foi por causa desta e doutras tiradas de experiência feitas que lhe limparam o sarampo a maltosa que o despachou para o necrotério mais cedo que o previsto agiu também pela calada curiosamente.

Portanto o banco de sô João foi à vida e arrastou consigo clientes de alto coturno apanhados com as calças na mão e bastantes foram-se de mãos a abanar e ele para ali de mãos atadas a ter de aguentar-se à bronca a engolir sapos dinossaúrios e olifantes mas que se lhe há de fazer não é boa regra de conduta muito menos de conduto chorar sobre o leite derramado é tudo lamentável mas guardo para mim com satisfação o que de bom fiz patati-patatá. O nosso homem não se armou aos cágados e lá vem enfrentando a carga de processos conformado mas com estilo mãos para o céu até parece um querubim ou um serafim ou um arcanjo só lhe falta um par de asinhas das autênticas não daquelas de préstito mas eu como o meu chapéu se ele não desconfia de quem o embarrilou.

Os governantes e governantas cá da praça porque não havia perigo sistémico deixaram o banco ir água abaixo tão pouco compraram os ativos nem as imparidades mas o Zé não está livre de entrar com fartas maquias compensatórias a montante e a jusante da linha de montagem de um banco está sempre o Zé bonacheirão e de costas largas mas até lá enquanto o pau não vem folgam as costas.

O nosso homem anda por aí livrou-se do aljube mas gasta do belo com patronos e com certeza nas lojas topo de gama noblesse oblige assim vai dando algum contributo à economia interna e externa e não digas que vais daqui.

Isto na sequência de um pedido de audição levado a cabo pelo mesmo juiz cusco que se chegou ao ícaro a pedir-lhe explicações ter-lhe-á espetado um valente puxão de orelhas que o deixou atarantado e abananado passou um mau bocado de estrada.

. Sôr Ricardo é homem de muitas rendas e de muitas tenças o mundo desdobrou-se a seus pés também à custa de fazer coleção de vivendas casas e quintas pelas 7 partidas ele ficou sem saber ler nem escrever à frente de banco antigo dono de holdings de companhias de seguros de hospitais de grupos de fundações e do diabo a 4 o rol do património é extenso e desconfia-se que os leigos nem da missa saibam a metade para todos os lados que se voltasse os cifrões vinham ter com ele poucos na santa terrinha o batiam aos pontos. O pintarolas anda pela casa dos 70 mas está aí para as curvas e deve ter à sua disposição uma plêiade de serviçais solícitos e está muito bem conservado o gatão qualquer mulher curvilínea ou convencida que o seja fica pelo beicinho pelo bichano de olho verde e cheio de notas verdes que o amor tem cor sim senhor. Ora bem o mundo dá muitas voltas e depois de muitos anos de fartura vieram as pragas do Egito e catrapumba o banco foi à vida a família zangou-se com ele e muita gente anda a jurar-lhe pela pele.

O sô Ricardo era homem entendido em alquimias fazendárias e será bom que ninguém ponha isso em dúvida mas viu-se grego a explicar semelhante tragédia não é fácil explicar o arrasamento de uma instituição que dera cartas na santa terrinha e que de um momento para outro desbotou definhou e adeus minhas encomendas melhor teria sido encomendar-se a S. Bárbara mas quem se atreveria a prever semelhante borrasca quem. Com cara de poucos amigos confessou não ter culpas no cartório agora não punha as mãos no lume pelos auditores pelos reguladores pelo primo pelo guarda-livros os jardineiros e motoristas escapam ele deve saber de fonte segura que estes não tiveram oportunidade de lhe passar a perna. Num tom cordato afiançou que não tinha provas da roubalheira não era sherlóque nem deus nem espião nem queria saber dessas coisas ele sempre foi um moiro de trabalho durante toda a sua vida morra quem o negue fartou-se de trabalhar pra burro mesmo nos fins-de-semana todos sem exceção ora bolas outro que se rebaixou a trabalhar e se calhar não devia.

Portanto o banco de sô Ricardo fica desfalcado é desbancado e a minha alma fica parva não sabia que se podia retirar um banco a um sujeito assim como quem tira os bonecos a garotos que tivessem andado a brincar aos médicos já não há respeito pela propriedade privada para onde estamos a caminhar miserere mei domine. Algum lafrau da tropa fandanga que o cercava perpetrou ou ajudou a armar a marosca ninguém me tira esta da cabeça ali anda dedo de passarão de alta rapina ninguém acredita que um homem troque os seus ricos charutos por paivantes dando tão pouca luta o nosso homem enfiou o barrete às boas come e cala alguém deveria dizer-lhe que encobrir um erro é errar duplamente.

Os governantes e as governantas da santa terrinha ainda não obrigaram o Zé a alinhar no pagode mas isso é uma questão de tempo ele vai ter de acudir a mais esta badalhoquice parida pela elite de pacotilha da santa terrinha olhem a novidade. Antes convenceram um senhor careca a pôr ordem na casa e ele não se fez rogado partiu o banco em dois o bom e o mau mas bateu asas em dois andamentos sem dar cavaco sem dizer água-vai ao Zé daqui me vou passem bem não devem ter soprado ventos de favor é o que é. Depois veio outro senhor muito mais cabeludo com a missão de vender o banco bom e não o fará por certo ao preço da uva-mijona vamos lá a ver agora o mau deve ir com os porcos.

O nosso homem continua na santa terrinha com a família e ainda bem sempre vai consumindo pipas de massa nas lojas e nos escritórios de advogados e isto ajuda ao consumo interno e dinamiza a economia da santa terrinha que não encontra maneira de estabilizar parece um barco sempre a meter água.

Isto na sequência de uma chamada de atenção do juiz da praxe o tal que é coscuvilheiro quanto baste pôs-se a esquadrinhar e logo mandou parar o baile quer tirar a coisa a limpo mas estas coisas não se fazem de um momento para o outro vai correr muita água debaixo das pontes está para aí armado um berbicacho mas isto vai.

 

. Já agora fica um conselho ao senhor juiz confraternize mais vá a festas e dê numa de conhecer o jet set ou os oragos das pequenas médias e grandes terras mas não trabalhe tanto isso pode trazer-lhe dissabores como no caso destes 3 estarolas.

 

. Os banqueiros da santa terrinha não andam ao papel andam aos papéis caem que nem tordos em esparrelas e depois ou ficam com amnésia ou de mãos atadas ou amuados e tudo isto não serve os negócios da santa terrinha se eles não servem venham outros camones que sejam a gente já vos deita pelos olhos assim ninguém fala do peixe miúdo do mexilhão que é a maioria e deveria merecer a atenção maior.

. Fosse a profissão de detetive mais acarinhada nesta santa terrinha em que a culpa ou morre de pés amarelos ou mora ao lado ou pertence ao mordomo e outro galo cantaria. Pelo menos ajudavam a aliviar a tarefa dos advogados …

 

. Deixo aqui a garantia  se os autores das mescambilhas não puserem a cabeça fora do buraco eu estouna disposição de me dar por culpado prontos tenho dito.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2011
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2010
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2009
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub