Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

oitentaeoitosim

12
Mar15

Em Batatívia 13

Jorge


O senhor presidente de uma casa benfazeja originalmente comprometida com pobres doentes órfãos prisioneiros e artistas deu uma entrevista ao matutino i já vai com mais de um par de semanas.
O senhor presidente é taxativo o envelhecimento da população da santa terrinha é um problema.
Problema porquê? viver mais cá em baixo é glorioso o céu tido pela pátria da felicidade suprema pode esperar é que de lá de cima não chegam novas nem mandados atendendo a que caldos de galinha e cautelas nunca fizeram mal por-aí-além e a que nem toda a gente tem lugar garantido no paraíso qualquer pecadilho pode ser impedimento de lá penetrar ali não há cunhas boa ideia será tratar de consolo cá por baixo quem nos dera que já estivesse à venda nas farmácias o elixir da eterna juventude ninguém morria trabalhava-se sempre ou dispensava-se o labor de uma vez por todas ninguém ficava doente dispensava-se os gastos com saúde com previdência social acabavam-se as notícias sobre dares e tomares em urgências de hospitais para nada contariam as faltas de seringas de pastilhas de gazes de lençóis de camas de macas de estetoscópios e de paciência nunca mais seriam feitos cortes nas pensões e nos rendimentos a macro e a micro economia medrariam não seriam precisos lares de terceira ou quarta idade nem os velhos passariam a meninos todos seriam ditosos velho só os trapos a felicidade seria assim cá em baixo acabava-se o tal vale de lágrimas isto sou eu a conjeturar.
O senhor presidente entende que a questão do envelhecimento deveria fazer sentar à mesa várias entidades da santa terrinha.
As entidades são três em primeiro lugar a Saúde o ministério da saúde presume-se em segundo lugar a SS vulgo segurança social em terceiro as instituições da sociedade civil como a santa casa a sopa do Cardoso as ipss e até óenegês ligadas à caridade curiosamente a geração grisalha parte-interessada não é tida nem achada para os bate-papos o que até se perdoa há por aí muitos anciãos e muitas anciãs que se arrastam arrimados a andarilhos outros estão gagás de todo muitos estão a contas com x maleitas e achaques deixem-se lá ficar sossegadinhos vocês deram as melhores forças ao regime vão gerindo como podem os dinheirinhos e a casita caso contrário arranjem uma pessoa de confiança joguem às cartas e vejam televisão se vos contaram que noutras culturas se dá primazia e voto de qualidade na família aos seniores não se fiem anda por aí uma cambulhada de vigaristas a ludibriar os idosos e as idosa que é um disparate e um dó de alma isto já sou eu a elucubrar.
O senhor presidente da misericordiosa instituição é assertivo a natalidade da população da santa terrinha é um caso bicudo.
Bicudo porque pelo andar da carroça não haverá renovação de gerações a renovação da raça pode ficar em questão sim o caso apresenta-se bicudo e indecoroso mesmo as novas gerações estão-se nas tintas para porem em prática o elementar ditame meu caro Watson do crescei e multiplicai-vos ora não me consta que o pessoal tenha desaprendido de fazer bebés em tempo real por outro lado a malta sempre tem a safa de Paris donde se pode mandar vir criancinhas para alguma coisa se preservou as cegonhas portanto das duas ou a moral das tropas anda muito por baixo ou então o povo deu a volta ao anexim primeiro o dever depois o prazer optando por trocar a ordem das parcelas assim não vamos a lado nenhum pior que uma crise na economia é a debacle ou evanescência dos sãos preceitos morais instituídos ou revistos se este cenário não for corrigido a santa terrinha corre o risco de no curto médio e longo prazos não ter maralhal para pagar aos bancos que se apoderaram da dívida pública da santa terrinha palavra de honra que não se percebe por que razão a canzoada não para de crescer quanto mais se paga mais se deve nem a física quântica explica liminarmente isto sou eu a discorrer.
Valha-lhe isso o senhor presidente já deu o seu contributo para a renovação da sua etnia daí que será de esperar que os indivíduos da sua igualha lhe sigam as pisadas vamos a isso ó malta do taco com maiores capacidades de sedução mais farta capacidade de enamoramento e enlevamento não percam mais tempo façam e perfilhem mais rebentos era giro ter uma população maioritariamente constituída por descendentes das abastadas gentes nunca mais ninguém nos punha canga ninguém se lembraria de constituir aqui qualquer protetorado ninguém nos poria a exigir inclemências para os desgraçados de outras santas terrinhas já agora mais uma sugestão batizavam-nos a todos e assim contribuíam para a expansão da fé assim se dava um bigode ao resto do mundo a mostrar como se faz caiam na real vá lá não se cortem como nos impostos olhem que não há bem que sempre dure e mal que sempre acabe isto sou eu a especular.
O senhor presidente da munificente instituição é taxativo não é muito cool gabar o nosso primeiro mas ele nunca ficou pendurado.
Não ficou dependurado é verdade pura e sagrada reunião marcada é reunião consumada por certo muitas tiveram para combinar a devolução de hospitais intervencionados em tempos do prec para requerer a assinatura de cheques que permitam a aquisição de ecógrafos na hora sem concurso luxo a que se tem de furtar a governança para decidir da ampliação da rede da irmandade uma necessidade nos dias que correm como o é a água a luz e a net para trocar dois dedos de amena cavaqueira que o xerife anda sempre assoberbado com tanta minudência que até é um favor que apareça alguém numa pausa a tirá-lo de fastios o senhor até parece um grande ponto isto sou eu a matutar.
O senhor presidente da benfazeja instituição é perentório há na santa terrinha um nicho de esquerda folclórica e liberal.
Fala-se de nichos de esquerda política de várias tonalidades extrema caviar radical ortodoxa retrógrada só para citar alguns exemplos há também a esquerda alta e a baixa mas isso é dos palcos do teatro que não da vida evidentemente sinceramente poucos desconfiavam da existência duma esquerda folclórica foi um a revelação tem-se a ideia que a malta esquerdina prefere ópera jazz a música clássica rock progressivo baladas folk música de intervenção sabendo-se de fonte segura que bastantes ouvem às escondidas o senhor Demis Roussos da pop melada agora era a propensão desses indivíduos para a boa a música dos ranchos populares é um achado a convicção provavelmente beneficiou de um estudo recente que revelou que muita dessa malta fora dos tachos adora rancho um pitéu de trás da orelha no entanto agora a etiqueta do liberalismo estará a lançar algum confucionismo a malta folclórica é liberal ao estilo dos opositores parlamentares ao sor Salazar ao género da cartilha dos seguidores do sor dom Pedro e do senhor Mouzinho ou à moda do catecismo do senhor Adam Smith? uma vez ultrapassada a questão poderão surgir novos partidos plataformas e alianças para animar o mercado eleitoral e a população macambúzia da santa terrinha a ideia parece bem fisgada muito embora não pareça que o presidente da benta instituição vá entrar no baile não parece para aí voltado isto sou eu a magicar.
Last but not the least o senhor presidente da filantrópica instituição afirma (sem pestanejar e com acinte) que passa fome quem quer na santa terrinha.
Qualquer indígena em pleno uso dos seus dentinhos naturais artificiais completos ou escassos precisa de trincar várias vezes ao dia caso não tenha aderido à recusa sistémica em ingerir alimentos a uma greve de fome por exemplo ou infelizmente seja portador de doença limitante pode em qualquer altura acercar-se a uma delegação da magnânima instituição e apresentar o certificado de necessitado social presume-se que não bastará apresentar cara encovada tez estranha e ar contrito para logo sair dali saciado com a moral em cima haja apetite saúde e vida (a vida nem sempre é o que ambicionámos paciência) para lá voltar mais vezes é certo que a irmandade já apoia para cima de 150 mil pessoas mais uns quantos milhares não aquenta nem arrefenta noutros tempos o trabalho tinha o exclusivo da dignificação individual da traz à plebe (a uma minoria apreciadora da dignidade do trabalho dos outros só se vê realizada na posse de lotes do precioso e vil metal) mas os tempos mudam uma malga de sopa ou um prato de lentilhas devem ser tomados com muita dignidade os subsídios só atrapalham também não se percebe por que razão esta malta não vai para outro lado agora já não é difícil a adaptação antigamente sim quando os emigrantes eram piegas o senhor presidente da benquista instituição pode ainda não ter solução na ponta da língua para a natalidade e para o envelhecimento mas para a fome e a pobreza tem aparecem e desfaçam-se da pobreza envergonhada que é pecado venial e mortal isto sou eu a arriscar.
Por causa da pobreza envergonhada a instituição caritativa do senhor presidente conta entabular negociações com especialistas italianos peritos na erradicação dessa endemia supõe-se que eles saberão da poda estilo receber de mão beijada todos os dias de mão estendida de cara alegre e ânimo acrescido sem complexos sem rebuços e sem ser pela porta do cavalo às escâncaras sem dar azo ao diz-que-diz do escárnio e maldizer da santa terrinha em nome da cidadania ativa da coesão social e da paz social a que não é podre isto sou eu a discorrer.
Já fazia falta animar assim a malta ou nem sempre fará sentido que o mal dos outros seja meu gozo.

mutley.gif

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub