Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

oitentaeoitosim

05
Jul15

Em Batatívia (17)

Jorge

    O fumo dos cigarros faz mal a quem fuma ninguém põe isso em dúvida muito menos os fumadores inveterados ou os médicos que também fumam mas não sabem resistir ao fumo dos cigarrinhos mas que têm por dever de ofício convencer a clientela do contrário o que até lhes fica bem pelo menos não querem o mal para os outros ora como ia dizendo os paivantes acesos na boca dos agarrados fazem mal à saúde por muitas razões e aqui ficam algumas em primeiro lugar são um vício e os vícios pagam-se caro em segundo o fumo incomoda à brava os mais chegados e bem pode ser considerado uma safadeza em terceiro os bofes de quem fuma ficam recobertos de alcatrão entre outras substâncias que são à volta de 3 mil e picos e o alcatrão deve ser aplicado nas estradas da santa terrinha onde faz falta em quarto lugar a fumaceira provoca ronqueira tísica ou cancro deste sabemos pouco mas mata que se farta até há quem jure que o cancro dos pulmões é o que mata mais e em quinto pode provocar a morte por antecipação e ninguém deve morrer antes da hora prevista pelos fados o que pode valer penas não desejadas às almas no outro mundo em sexto ninguém merece ser comparado a um enchido que se ata e põe ao fumeiro.

    É certo e sabido que as cigarradas vendem-se aos braçados e isto não dá para perceber o pessoal fumante não deve funcionar bem dos chavelhos ou então não sabe ler não quer ouvir e isto é o pior que pode acontecer fingir que não entende ou então acha que o mal só acontece aos outros eu cortava o mal pela raiz acabava com a mamadeira nos paivantes aliás acabava com todas as mamadeiras em uso na santa terrinha quando as autoridades vêm com essa conversa mole que não podem ir contra os direitos dos produtores de beatas como se fosse legal escolher a morte isso só acontece nas guerras é dos livros a única coisa de jeito foi a proibição da publicidade dos palitos e já foi um pau que as tabaqueiras têm ainda muito poder e ainda por cima poupam na publicidade o que lhes dá vantagens comparativas assinaláveis.

    Portanto fumar compensa as tabaqueiras que mantêm muitos postos de trabalho nas fábricas e nas plantações é sabido que os postos de trabalho são sagrados para todos mesmo para quem trabalha o trabalho é como as vacas e similares na Índia é uma instituição sagrada e protegida além disso as vendagens de pacotes e maços de tabaco de cigarrilhas de cachimbos de mortalhas e de charutos dão muito dinheirinho de imposto à nação talvez seja por causa disso que tantos se sacrificam a fumar pelo equilíbrio financeiro da santa terrinha por outro lado a extinção deste ramo produtivo deve contar com a oposição expressa duns quantos que mandam nisto que não toleram que lhes tirem o prazer dos charutos quem está bem na vida fuma charuto só os tesos se limitam a sugar tabaco aliás não me parece que as embalagens de charutos tenham mensagens horrorosas perfeitamente entendível em sociedades classistas também as armas não têm dizeres rancorosos e as bebidas espirituosas também e os carros idem.

    Há aqui outra coisa que me faz espécie diz-se que os cigarristas queimam tabaco à frente do nariz e dos olhos por conta do estresse da ansiedade e mesmo de medos instilados pela sociedade ou pela vida ora se metem ainda mais medo com aquelas mensagens estapafúrdias e reles nos maços dos biris mais essa malta fica estressada ansiosa ou medrosa e põe-se a cigarrar não dá para entender nos maços deveriam aparecer por exemplo anjinhos a debitar coisas no género se não deixas essa bodega vens ter comigo em dois tempos eu bem que andava desconfiado que os passeios estradas caminhos veredas becos e terrenos limítrofes estão cada vez mais atapetados de bias e não me perece que seja só por causa de falta de contratar pessoal os medos puxam pela cigarrada depois os cús dos cigarros demoram anos a decompor-se para aí uns cinco menos que os plásticos é certo mas tanta beata acumulada nas artérias da santa terrinha são um mau postal para quem nos visita embora se saiba que os visitantes gostem de ver anacronismos que na terra deles já passaram à história. 

    A gente já se habituou aos plásticos nas paisagens urbanas e olhem que isto não é um mito urbano a malta vai-se habituando às ervas nas paisagens urbanas e rurais agora as beatas de fuzileiros ou priscas de charutos ou cigarrilhas as pontas de charros nas paisagens não se chupa dão mau aspeto e podem ser um sinal de regresso a barbarismos que já se julgava terem sido exterminados mas o tempo parece que decidiu voltar atrás como aquela cena dos mercados apostados no regresso à pureza original não fica bem e assim se pode afugentar muitos turistas cá da santa terrinha não bastavam certos monumentos mal-amanhados quanto mais esta desgraça a propósito essa cena de obrigarem os fumadores à produção de gases cá fora em compita com os carros não me parece atilada tenha-se em conta o aumento da gazearia das ruas e o exponencial aumento de resfriados e outras doenças nas noites frias provavelmente os charutadores não se submetem a estes tratamentos mas isto sou eu a dizer que não fumo disso.

    Há quem atribua aos fumantes persistentes uma forte descrença na felicidade que não passaria de uma barreira de fumo já o senhor Oscar Wilde estava noutra quando deixou claro que os cigarros são a forma perfeita de prazer pois são efémeros e deixam sempre o pessoal insaciado mas se calhar no tempo dele usava-se mais o rapé não sei certo é que atirar fumo para os olhos já não é um acaso mas sim uma necessidade na santa terrinha e não só.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub