Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

oitentaeoitosim

09
Out14

Em Batatívia 3

Jorge

. Os quadros pintados pelo senhor Miró e que caíram nos braços do estado português e dos seus mandantes de turno, depois da benemérita intervenção no BPN (feita segundo os cânones da ciência económica dominante), já foram vendidos?

. O nosso primeiro quer mais criancinhas. Um apelo que de Gaulle não enjeitaria. Mas, presume-se que terá escolhido mal a oportunidade. Vida como a de agora não chega a netos, ouve-se por aí…

. Consta que os senhores e senhoras que mandam nos partidos (os do voltarete?) são muito cioso(a)s dos seus valores, raramente dão o braço a torcer e não dão grandes abébias, por isso o país está como está. Disso se queixou o provedor-mor da terra. Fizessem eles marcha atrás e o terrunho colava-se ao pelotão da frente, em 2 tempos. Vai sendo difícil ser prior da freguesia!...

. Comenta-se à boca pequena e à boca grande que certos políticos se servem dos tachos no setor público, para abicharem, mais tarde, bons postos no privado, esse mesmo, o que põe a terra a andar. Não se percebe a verrina. As leis da vida fixadas pelo mercado livre não enjeitam a situação e essa é que conta. Se a inveja fosse tinha, haveria muitos mais carecas!...

. Representantes da nação já não queriam os bustos dos presidentes do «estado novo» (em mau estado), numa exposição pública acertada para a casa da democracia. Consta que, dois dias antes, os ditos mandatários do povo - de passagem pelo local que acolheria a exposição -, ter-se-ão dado conta de um fedor típico doutros tempos, provindo daquelas estátuas.

(Outra testemunha ocular jura que os bustos fizeram caretas,piretes e narazes, pelas costas.)

 Receando uma contaminação generalizada, propuseram os mandatados que o certame fosse inaugurado, pelas calendas gregas. Levaram sopa e por expiação, foram exibidos a trinchar croquetes e pastéis de bacalhau, no dia aprazado!

(«Cansei-me de tentar o teu segredo. (…) Por noites de pavor, cheio de medo» - escreveu um ilustre poeta.)

. Há uma dívida que tomou o freio entre dentes, há muito tempo. Por causa da dita cuja são devidos juros a dar com um pau. Vieram os entendidos na matéria e disseram de sua justiça: os detentores da dívida e dos juros não gostam que lhes façam chegar a mostarda ao nariz, podiam marinhar pelas paredes fora e aí o pessoal levava pela medida grande. Portanto, nada de agitar as águas, que a nação pode não recompor-se de novo naufrágio (até disso são capazes os credores anónimos, alapados no poder global). Entretanto sobreveio a bronca do BES; ministros compraram indulgências, de baraço ao pescoço; o nosso primeiro, apontado de recetador, deu o bacalhau a um senhor muito bem-educado, mas que tem sido acusado de trampolinices; a governança promete uma rebaixa nos tributos, em troca de votos, é um fartar vilanagem! Que fizeram os harpagões? Nem fum nem funeta, sossegadinhos que nem ratos! Não é mesmo de cabo de esquadra?!…

. O SMN (salário mínimo nacional) terá aumentado de 485 para 505 euros, mais 20 euros que certos jornalistas mostraram à saciedade que dão para comprar isto e mais aquilo. Entretanto, até parece que alguns dos contemplados com tal benesse podem mudar de escalão de IRS e a carteira encolhe. Depois há a fiscalidade verde que tem estado a limar os dentes para atacar. Também a beneficente inflação promoverá mais aumentos de preços, da luz, da água, do gaz, do pão, das peúgas e das trusses. A dissimulação no seu melhor, dar com uma mão e retirar com duas…

(O direito consuetudinário hodierno consagra que recebe mais quem mais tem. Os outros que se aguentem à bronca, ou ponham a mão num tesouro. Em qualquer lado…)

Nova imagem (22).pngNhanha,Nanha, Nhanha!!!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub