Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

oitentaeoitosim

18
Abr14

Fariseísmo ou rapapé e estúrdia

Jorge

Florentino, cônscio de sua vocação, desbravou caminho até ao sacerdócio. Por 3 décadas ininterruptas foi representante do Céu na Terra, revelando-se sempre à altura das circunstâncias.

Surgiram de parte incerta os zunzuns que metiam cabeças-de-mulas e coroinhas abusados. «Má-língua!» disseram uns. «Não há fumo sem fogo!» – concederam outros. Até que uma acusação é formulada e comprovada nas instâncias civis e canónicas suficientes. Teve que pendurar os hábitos, por ter cedido às aleivosias libidinosas do porco-sujo, deixando maltratado o celibato encasquetado.

 Por consideração aos bons serviços prestados à conjuntura, após a excomunhão e a exautoração da praxe, foi desterrado para parte incerta, em busca da redenção da alma e de indulgências que o candidatem à felicidade eterna. Foi então que decidiu montar uma empresa de contabilidades dúbias (assim como assim, continuava no ramo).

 

Bizantino demorou bastante tempo a descobrir que o magistério das almas estava nos planos traçados por deus relativamente à sua pessoa. Viveu uma vida de borga, até à exaustão. Aí sentiu a chamada ao mester sacerdotal. Por 2 décadas exerceu a sua missão a contento, sem um reproche, por mínimo que fosse.

De súbito, destravam-se zunzuns, com epicentro em cascos-de-rolha. Que o cura era danado para jogos de mãos na antessacristia, de apalpões na sacristia e de cobrição em recantos obscuros do presbitério. Que em lupanares e dormitórios de formigões teria chegado a vias de facto. Dessas práticas - pouco beatíficas – não se apresentaram testemunhos que pudessem colher convencimento nas varas e instâncias civis ou eclesiásticas, que nos areópagos, as fofocas ficam à porta. É verdade que um rapaz o chamou de pai, em dia de romaria e feira da terra; o cura disse que era sobrinho e sobrinho ficou (o gaiato, desde então, nunca mais empatou, pois tornou-se embarcadiço à viva força, e assim se pôs uma pedra sobre o diz-se diz-se). Ainda foi acusado de violação por 2 moçoilas, mas os fiéis ouvintes, mal refeitos de uma liturgia madrugadora, atremaram violência e quem ameaça o pastor ameça as ovelhas: logo trataram de as pôr com dono, pelo que foram pregar para outra paróquia, a toque de caixa).

Às insinuações (torpes) de média e de redes sociais que lhe apontavam o dedo por práticas social e sexualmente condenáveis não ligou meia, excomungou os  mais afoitos, tendo ainda sido condenados às chamas do inferno de baixo. Doutra vez invocou e ajuramentou pela saúde dos filhos que fizera antes da Ordem como nunca havia pecado depois.

O agora monsenhor emérito, continua a exercer o seu mister, perante o enlevo da cúria, do bispado e da paróquia (deus ainda não se pronunciou). Nihil obstat…

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub