Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

oitentaeoitosim

21
Set15

Vidas (2)

Jorge

    Quis o destino que o ministrante número dois da coligação governativa que é o governante número um do seu partido coligado fosse posto perante a contingência de ter um debate pré-eleitoral com a figura número dois de um partido furta-cores que integra uma coligação de oposição, onde será a número dois.

    Não desarmou e disse-se «encantado» com a oportunidade, tendo voluntariosa e briosamente afivelado uma feição prazenteira. O episódio não o abespinha, jura.

Duas ou três perguntas depois, o segundo ministrante, não se contém e dispara:

- Em nenhum país comunista haveria um debate com os adversários políticos, porque, se houvesse, era o último. Como sabem, ou lhes cortavam a cabeça ou os prendiam. Em democracia trocamos ideias naturalmente, civilizadamente.

    Amino, comentador de tevê que seguia, em direto, aquela conversa considerou que o segundo ministrante não tinha afivelado bem a máscara, que tivera um deslize indesculpável, enfim, fica mal numa pessoa de trato afável e diplomático semelhante espalhanço.

    Almerinda, rapariga nova, mas pouco dada a leituras e que não fazia a mínima ideia de que seria um país comunista e até duvidada da existência deles, fica estarrecida com a tirada. Logo ali, no café mais próximo de casa, confessa, a quem se dispôs a ouvi-la que, das três uma: primeira, o homem sofre de ginofobia, ou tem xinidamina; segunda, o senhor deve estar mal informado, nunca houve eleições com degola, quando muito uma só vez sem exemplo; terceira, o homenzinho tinha mau perder.

    Antero, um cidadão devotado, teve de recorrer às urgências psiquiátricas do hospital mais próximo, a uns bons70 km da sua casa, onde permaneceu do nascer ao pôr-do-Sol, acometido de medo fulminante. Sempre soubera de fonte segura que aquela malta que gosta dos países comunistas dava injeções atrás da orelha aos velhotes e que comia criancinhas ao pequeno-almoço; nunca lhe tinham contado (era já entradote) essa manigância nos debates pré-eleitorais, coisa monstruosa. Passou-se.

    No dia seguinte, Amino comentou outra vez: que o senhor ministrante número dois até tinha alguma razão do seu lado; nas democracias, guarda-se o melhor para os mais dotados. Ainda teve a oportunidade de acrescentar que, sob pena de termos um simulacro de debate, quem deveria lá estar do lado oposto da mesa, seria o senhor que é o número um daquela coligação oposicionista, porque o segundo ministrante é o número um de um dos dois partidos que estão na coligação do poder. Falou e disse.

    No dia seguinte, Almerinda estranhou que ninguém tivesse vindo a terreiro a desancar no segundo ministrante, o que confirmava a sua ideia que nunca tinha existido países comunistas. Portanto, quanto a essa conversa de se cortar cabeças por causa de debates pré-eleitorais era mesmo tanga, para engodar tansos.

    No dia seguinte, já não se tirava nada de Antero, tão pouco o colete-de-forças que traz agarrado à pele. Já se discute a nível oficial se um dia poderá votar, só ou acompanhado.

    No dia seguinte soube-se igualmente que o segundo ministrante esteve vai-não-vai para desistir do debate, que lhe marcassem falta de comparência queria lá saber! Mas, pensou melhor e, no dia aprazado, assinou o livro de ponto.

   Ainda não tinha dito, mas fica aqui o registo: o ministrante número dois filou pelos gasnetes a senhora que era a número dois de uma coligação de oposição, mal soou o toque final do gongo. A vítima ainda teve de ser submetida a tratamento ambulatório de reanimação.

    Ao Amino já não saem comentários com cabeça-tronco-e-membros; Almerinda já não diz coisa-com-coisa no café; a Antero já não o fazem sair do seu estupor. O segundo ministrante anda ufano por aí, a lançar foguetes e a recolher as canas. Nem quer pensar que não terá direito a comemoração votiva, com a saída dos resultados da consulta popular..

death-queen-royal-axe-execution-king-12252209_low.

 

Não te procupes, ele é um profissional competente!. 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub